A Sociedade Brasileira de Hérnia e Parede Abdominal (SBH) – em parceria com a ONG Hernia Internacional –  promove entre os dias 21 e 27 de julho, na Paraíba, um Mutirão de Cirurgias. Serão realizadas cerca de 200 cirurgias em hospitais localizados nas cidades de João Pessoa, Mamanguape e Itabaiana.

O presidente da Sociedade Brasileira de Hérnia, Alexander Morrell, conta que está é a 6ª edição do mutirão realizado pela SBH e ONG Hérnia Internacional.

“Neste ano estamos ampliando o número de pacientes que serão operados, bem como o número de cidades e hospitais envolvidos na ação”, explica Morrell.

Os pacientes que serão operados no mutirão são os que aguardam a mais tempo na fila do Sistema Único de Saúde (SUS) para fazer a cirurgia, o que varia entre um e dois anos de espera.

As hérnias da parede abdominal afetam cerca de 20 a 25% da população adulta brasileira e representam a cirurgia mais realizada por cirurgiões gerais. Elas ocorrem principalmente na virilha (hérnia inguinal), no umbigo (hérnia umbilical) e no local onde foi realizada previamente uma cirurgia (hérnia incisional).

 

Locais de cirurgia – As cirurgias serão realizadas em cinco hospitais, sendo três deles em  João Pessoa e outros dois em cidades do interior. O Hospital Municipal Santa Isabel, em João Pessoa, cedeu um bloco com 5 salas exclusivamente para a realização das cirurgias do Mutirão. No local 120 pacientes serão operados, totalizando uma média de 20 cirurgias ao dia.

Outros 30 pacientes serão operados no Hospital Universitário de João Pessoa e 15 pessoas serão atendidas no centro cirúrgico do Hospital da Polícia Militar Edson Ramalho. Em Mamanguape, o Mutirão de hérnia acontece no Hospital Geral de Mamanguape e, em Itabaiana, no Hospital Regional da cidade.

O Vice-Presidente da SBH e coordenador geral do mutirão, Christiano Claus, ressalta que esta é uma ação voluntária e humanitária, realizada por 12 cirurgiões do Brasil e três cirurgiões estrangeiros.

“O nosso objetivo é contribuir para tentar reduzir a fila de espera pelo procedimento, tendo em vista que a hérnia é uma das patologias mais frequentes não apenas na Paraíba mas em todo o Brasil”, destaca Clauss. “É uma missão voluntária e humanitária, que fará em uma semana o mesmo volume de procedimentos realizados em um ano nestas regiões”, completa Clauss.

A ONG Hérnia Internacional é uma instituição 100% voluntária que criou o projeto Operation Hernia (Operação Hérnia) há mais de 10 anos , com o objetivo de realizar missões humanitárias de cirurgia de hérnia. A ONG promove mutirões em cerca de 28 países, especialmente, naqueles que possuem menos condições de acesso a sistemas de saúde como como o Camboja, Quênia, Etiópia, Uganda e Paquistão.

Cenário Local – Já o cirurgião Péricles Oliveira, coordenador local do evento, destaca que o Mutirão de Hérnia na Paraíba é uma forma humanitária de promover o atendimento de pessoas aguardavam na fila pelo procedimento.

“Temos uma demanda grande na Paraíba e este mutirão trará os resultados tão aguardados pelos pacientes do nosso estado”, completou Péricles. Segundo ele, serão realizadas cirurgias abertas e por videolaparoscopia, em pacientes com diferentes tipos de hérnias abdominais.

Na semana do Mutirão, no dia 26 de julho, acontece ainda a 2ª Jornada Norte/Nordeste de Hérnia, em João Pessoa. Na oportunidade serão abordados temas como as atualizações em cirurgias de hérnias e uso de telas, resultados e preparo do paciente.

 

Maiores informações sobre o Mutirão e a Jornada da SBH podem ser encontradas no site  www.sbhernia.com.br/5mutirao.asp e www.sbh.com.br