News

GRID VIEW

No more posts
shutterstock_721605601-1-1200x800.png
31/out/2018

Já conversamos aqui sobre as hérnias, que podem surgir em vários locais do corpo, como o umbigo e a virilha. O tratamento das hérnias é feito por cirurgia.

As hérnias umbilicais raramente precisam de tratamento urgente, uma vez que a maior preocupação é estética, principalmente nos adultos. As que aparecem em bebês podem ser reparadas após a criança ter dois anos de idade.

Já as outras hérnias, que correm maior risco de se estrangularem, normalmente são reparadas quando diagnosticadas e, se no momento do diagnóstico, se a hernia estiver estrangulada ou encarcerada a cirurgia é feita imediatamente.

A cirurgia é feita para reduzir ou cobrir a abertura, para que o conteúdo abdominal não deslise para fora, reduzindo o tamanho e desconforto que provoca.

Além da atuação em cirurgias bariátricas, sou presidente da Sociedade Brasileira de Hérnias.

Para mais informações sobre bariátrica e cirurgias da parede abdominal no  Instagram: @dralexandermorrell. Entre em contato conosco e agende a sua consulta. Nossos telefones são (11) 5539-3515 / 5539-6216.
_
Dr. Alexander Morrell – CRM 45285/SP

Referência: Manual MSD.


WhatsApp-Image-2018-10-29-at-07.35.42-1200x900.jpeg
29/out/2018

Nessa semana estive em Nova York com meu amigo e doutor Flavio Malcher para acompanhar uma cirurgia robótica na parede abdominal, no Montefiore Medical Center.

Saiba mais sobre meu trabalho e tire suas dúvidas sobre cirurgia bariátrica e da parede abdominal no meu Facebook institutomorrell e no Instagram: @dralexandermorrell

Para consultas e outras dúvidas entre em contato pelos telefones (11) 5539-3515 / 5539-6216.
_
Dr. Alexander Morrell – CRM 45285/SP


44744837_296175787652506_8727241522472288256_n.jpg
26/out/2018

Ao longo desta semana participei do Clinical Congress 2018 do Colégio Americano de Cirurgiões, em Boston, Massachusetts, que reuniu cerca de 10 mil médicos congressistas de todo o mundo com troca de experiências e conhecimentos.

O Congresso apresentou novos conhecimentos e ideias para melhorar a prática cirúrgica dos participantes, melhorar a qualidade de atendimento ao paciente e aplicar conceito e medidas de qualidade em apoio aos avanços de pesquisa.

O evento acontece todo ano, em diferentes cidades.


obesidade-1.jpg
26/out/2018

A obesidade já é uma realidade para 18,9% dos brasileiros. Já o sobrepeso atinge mais da metade da população (54%). Os dados são da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) e foram divulgados hoje (18) pelo Ministério da Saúde.

Entre os jovens, a obesidade aumentou 110% entre 2007 e 2017. Esse índice foi quase o dobro da média nas demais faixas etárias (60%). O crescimento foi menor nas faixas de 45 a 54 anos (45%), 55 a 64 anos (26%) e acima de 65 anos (26%).

No mesmo período, o sobrepeso foi ampliado em 26,8%. Esse movimento foi maior também entre os mais jovens (56%), seguidos pelas faixas de 25 a 34 anos (33%), 35 a 44 anos (25%) e 65 anos ou mais (14%).

Na avaliação da diretora do Departamento de Vigilância de Doença e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde do Ministério da Saúde, Fátima Marinho, embora o ritmo de crescimento da ocorrência de obesidade tenha se estabilizado desde 2015, ainda é um índice preocupante.

Ela identifica como fator central desse processo a mudança na realidade das mesas dos brasileiros. “Pessoas comiam comidas mais saudáveis. O arroz e o feijão, por exemplo, não são mais unanimidade. Há mais comidas industrializadas, mais fast food e menos consumo de comidas mais frescas”, explica a diretora.

Menos refrigerantes e mais atividade física

Apesar desses índices, o levantamento registrou um aumento da prática de atividades físicas no tempo livre de 24,1% no período de 2009 a 2017 e uma queda de 52,8% no consumo de refrigerantes e bebidas açucaradas entre 2007 e 2017. A perda da preferência por esses tipos de bebidas ocorreu sobretudo entre adultos com idades entre 25 e 34 anos e entre pessoas com mais de 65 anos.

A inclusão de frutas e hortaliças no cardápio habitual também teve um acréscimo nos últimos anos, crescendo 5% entre 2008 e 2017. Nesse consumo, há um recorte de gênero representativo. Enquanto esses alimentos são mais frequentes no cotidiano alimentar das mulheres (40%), eles ainda não são muito populares entre os homens (27,8%).

Na opinião de Fátima Marinho, a mudança de hábitos alimentares necessária para reduzir esses índices de obesidade e sobrepeso passa por informar melhor o consumidor na hora de escolher o alimento. Ela cita como exemplo sucos industrializados, vistos como mais saudáveis por muitas pessoas, mas que são compostos por quantidades de açúcar semelhante às dos refrigerantes.

“A política pública tem que incentivar pessoas a comerem melhor. Informar melhor é a nova proposta, começar nos alimentos industrializados o que está lá dentro e as quantidades. Se há aquelas letrinhas pequenas e tem que fazer vários cálculos, aí fica mais difícil”, comenta.

A Vigitel é realizada com maiores de 18 anos em 26 capitais e nos Distrito Federal. Foram entrevistadas 53 mil pessoas entre fevereiro e dezembro de 2017.Ou seja, o levantamento não registra os hábitos e tendências de pessoas que moram em cidades do interior do Brasil.

Por Jonas Valente – Repórter da Agência Brasil

44680921_295767497693335_2254723058621218816_n.jpg
24/out/2018

A cirurgia metabólica tem como principal foco o controle das doenças associadas, principalmente do diabetes tipo 2. Ela é indicada para os pacientes que possuem a diabetes, com Índice de Massa Corporal (IMC) entre 30 kg/m² a 35 kg/m².

Esse tipo de diabetes está diretamente associado à obesidade.

Nessa operação, é realizado exatamente o mesmo procedimento da cirurgia bariátrica, o que muda é apenas o foco. A metabólica visa o controle de doenças e a bariátrica visa a perda de peso, com metas de contenção de diabetes e hipertensão em segundo plano.

Dúvidas? Confira informações sobre bariátrica e cirurgias da parede abdominal no Instagram: @dralexandermorrell

Para consultas e outras dúvidas entre em contato pelos telefones (11) 5539-3515 / 5539-6216.
_
Dr. Alexander Morrell – CRM 45285/SP


shutterstock_721605601-1200x800.png
23/out/2018

A hérnia da parede abdominal é um órgão que víscera através de um defeito ou orifício da parede abdominal, os principais tipos são: inguinal, umbilical, incisional e epigástrica.

As hérnias são comuns e atingem entre 3% a 8% da população, a maioria acontece em homens. A da região inguinal é onde aparecem 75% de todos os casos.

Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Hérnias (SBH), o cirurgião Alexander Morrell,  as hérnias provocam uma série de dúvidas nos pacientes. Confira mitos e verdades:

 

  • Hérnias ocorrem devido a fraquezas na parede abdominal? Verdade

 

De acordo com Morrel, as hérnias ocorrem em locais frágeis. “A passagem do cordão umbilical determina uma região de fraqueza no umbigo; a passagem do testículo – de dentro para fora do abdômen – acontece devido a uma fraqueza na região inguinal (da virilha). As áreas de realização de cirurgia, onde aparecem as hérnias incisionais, representam áreas de fraqueza da parede abdominal, e onde ocorrem as hérnias epigástricas, acima do umbigo, os vasos sanguíneos atravessam a parede abdominal determinando pontos frágeis”, explicou.

 

  • A obesidade aumenta o risco de ter hérnia: verdade

 

O cirurgião explica que o excesso de adiposidade no organismo enfraquece os tecidos, pela elevação da pressão abdominal. “ Condições relacionadas ao aumento da pressão abdominal, como gestação e tosse crônica, também aumentam o risco de aparecimento de hérnias”, disse.

 

  • As hérnias aparecem apenas em idosos: mito

 

Podem aparecer em pacientes de qualquer idade. “Entre os mais jovens ocorre devido a defeitos anatômicos e porque os tecidos ainda não alcançaram o desenvolvimento pleno. Já entre os mais idosos, acontece devido ao processo de deterioração dos tecidos”, explica Morrell.

 

  • Hérnias não apresentam sintomas: mito

 

Um dos principais sintomas de hérnia abdominal é um aumento de volume localizado. “Geralmente é associado a dor ou desconforto local e aparecem principalmente após o esforço físico. Os pacientes que têm hérnias inguinais podem sentir dores irradiando para a bolsa escrotal”.

 

  • A hérnia pode provocar complicações: verdade

 

As hérnias podem ficar encarceradas ou estranguladas. “O encarceramento não configura emergência, mas está associada a dor. Isso acontece quando uma dobra do intestino se torna presa na hérnia, o que pode provocar uma obstrução intestinal. Em casos raros acontecem o estrangulamento, quando a hérnia prende parte do órgão com muita força e corta o fornecimento de sangue. O quadro pode provocar necrose e infecção. Se não tratada, pode causar morte”, alerta o cirurgião Alexander Morrell.

 

  • Tratamento é apenas cirúrgico: verdade

 

Por se tratar de um “buraco” na parede abdominal a única opção de tratamento é a cirurgia.  “Geralmente o tratamento é a costura do orifício e, como existe o risco de retorno, normalmente é colocada uma tela cirúrgica para reforço do local. Fisioterapia e exercícios para fortalecimento do abdômen não apresentam melhora para o quadro”, disse.


dr-alexander-morrell-operando-1200x790.jpg
22/out/2018

Curso de Cirurgia de Obesidade Mórbida e Diabetes

No ultimo dia 06 de junho de 2009 aconteceu o II Modulo do V Curso Continuado de Videocirurgia da Sociedade Brasileira de Videocirurgia ? SOBRACIL, capitulo de São Paulo, no Centro de Estudos do Hospital São Luiz.
Sob a Supervisão do Dr Alexander Morrell, atual Presidente da Sobracil SP, o evento reuniu os mais renomados profissionais atuantes na área, que ministraram palestras e discutiram assuntos como cirurgia da obesidade mórbida .

A tarde foram discutidos os recentes avanços no tratamento cirurgico para o diabetes mellitus associado ou não a obesidade morbida, tendo sido realizadas 2 (duas) cirurgias com transmissão ao vivo para um auditório com aproximadamente 100 médicos que puderam dirimir duvidas e aprender o melhor da videocirurgia.

Como Presidente eleito da Sobracil SP para o biênio 2009-2010 o Dr Alexander Morrell pretende dar continuidade a este tipo de evento que permite a divulgação de conhecimento para os cirurgiões mais novos e ainda não afeitos a técnica videoendoscópica.


20/out/2018

 No período de 13 a 17 de maio de 2014 o Dr Alexander Morrell esteve presente como Palestrante no Congresso Internacional da Associação Latino Americana de Videocirurgia – ALACE no Panamá.  Lá ele proferiu palestra sobre o Tratamento de Complicações em Cirurgia da Obesidade e como preveni-las. Tema importante pela presença de cirurgiões mais novos e menos experientes e que puderam discutir o assunto após a palestra. Neste mesmo evento o Dr Alexander Morrell realizou 2 cirurgias de Obesidade – (Gastrectomia Vertical por videocirurgia) demonstrativas com transmissão ao vivo para o auditório central do Congresso com aproximadamente 800 cirurgiões.

40435395_278279109442174_4807116290344878080_n-1.png
15/out/2018

Hoje trazemos para vocês um pouco mais de informações sobre as TÉCNICAS DE CIRURGIA BARIÁTRICAS aprovadas no Brasil.

Em nosso país, são realizadas aproximadamente 80 mil cirurgias por ano. Entre as técnicas utilizadas está a gastrectomia vertical (conhecida também como Sleeve), a mais utilizada nos Estados Unidos e a segunda mais empregada no mundo.

Nela, o cirurgião grampeia o estômago do paciente em forma de um tubo que vai do final do esôfago até o duodeno. Com isso, o volume do estômago fica reduzido em até 80%, permanecendo com cerca de 100 ml, e na forma de um tubo gástrico. É um procedimento que já é feito há mais de 20 anos e tem boa eficácia no tratamento da obesidade e no controle do diabetes.

Para consultas e outras informações entre em contato pelos telefones (11) 5539-3515 / 5539-6216.

Também estamos no Instagram: @dralexandermorrell

_
Dr. Alexander Morrell – CRM 45285/SP


15/out/2018

No período de 6 a 7 de junho de 2014 o Dr Alexander Morrell esteve participando do Curso Avançado de Tratamento de Hernias da Parede Abdominal por videocirurgia no IRCAD em Barretos. Neste curso o Dr Alexander Morrell proferiu palestras sobre o tratamento das hérnias inguinal e central por videocirurgia. Realizou também uma cirurgia demonstrativa ao vivo para cerca de 80 cirurgiões que assistiam no auditório.


logo2

O CENTRO AVANÇADO DE TRATAMENTO E CIRURGIA é uma Clinica Especializada em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Videocirurgia, Cirurgia de Obesidade Mórbida e Cirurgia Metabólica e do Diabetes que oferece aos seus pacientes o que há de mais moderno e recente no mundo.

Certificações

Instituto Morrell | 2004 - 2019 | Todos os direitos reservados                                             Desenvolvido por Exata Design