News

GRID VIEW

No more posts
12-1200x706.jpg
05/jul/2019

O doutor Alexander Morrell, cirurgião bariátrico e do aparelho digestivo e presidente do capítulo de São Paulo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) participou do Barilive desta quinta-feira (4), que abordou o tema “Qual é a melhor cirurgia para mim?”.

O Barilive é um programa da SBCBM que tem o objetivo de levar informações de qualidade para a população e vai ao ar, todas às quintas-feiras, às 20 horas, ao vivo no Facebook.

Um dos primeiros pontos que Morrell esclareceu foi que o paciente precisa se enquadrar na resolução do Conselho Federal de Medicina que aponta algumas regras para a operação, além de ter indicação médica. Não basta querer fazer a cirurgia. “Como pré-requisito o paciente precisa ter obesidade há mais de cinco anos, falha no tratamento clínico com medicamentos e preencher os critérios de Índice de Massa Corpórea (IMC)”, explicou Morrell.

Cirurgia minimamente invasiva

O cirurgião é especialista em cirurgia robótica e afirma que a técnica agrega itens que a laparoscopia não permite. “A cirurgia robótica traz algumas vantagens, dependendo da adaptação do cirurgião”. disse. “Eu tenho a oportunidade operar por robô e tenho a impressão – a cada cirurgia que eu faço – que a operação por robô é melhor. Acredito que a robótica é a mais indicada em cirurgias em super obeso ou revisional”, afirmou.

A cirurgia realizada com robô tem benefícios para o paciente. “A dor na parede abdominal é um pouco menor, mas geralmente o resultado final de emagrecimento e remissão das doenças associadas é o mesmo”, explicou.

Bypass x Sleeve

As duas técnicas de cirurgia bariátrica mais realizadas atualmente no Brasil são o Sleeve (Gastrectomia Vertical) e o Bypass Gástrico.

“Muitas vezes o paciente chega ao consultório com uma técnica já escolhida, mas ainda não sabe os detalhes de cada uma delas, por isso é muito importante uma discussão e análise profunda de cada caso antes da indicação”, disse Morrell.

A técnica é indicada pelo cirurgião após uma conversa e uma análise dos exames. A escolha depende de possíveis doenças associadas à obesidade que o paciente pode ter e o histórico de doenças familiar.

Engravidar antes ou depois da bariátrica?

Muitas pacientes têm o desejo de engravidar. O mais indicado é que a mulher faça o controle do peso antes da gestação.

“A obesidade é um dos maiores fatores de infertilidade tanto no homem quanto na mulher. Há vários quesitos a serem avaliados, mas a gestação de uma paciente obesa tem mais risco do que uma não obesa. É mais saudável operar primeiro, adquirir um peso que não vai ter problemas para a gestação e depois de cerca de um ano e meio, engravidar”.


61438793_389646054972145_6513272480809877504_n.png
29/maio/2019

O doutor Alexander Morrell vai apresentar uma cirurgia bariátrica robótica em 3D durante o Megaevento Campinas 2019, em São Paulo, no próximo sábado – 1 de junho.

👉 O evento reúne quatro dos maiores congressos do país e será o primeiro com apresentação de um Bypass gástrico robótico em 3D.

A programação começa na próxima quarta-feira, 29 de maio. Inscreva-se pelo sitewww.campinas19.com.br

💎 Morrell é cirurgião bariátrico e do aparelho digestivo e presidente do capítulo de São Paulo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM).

Mais informações sobre bariátrica e cirurgias da parede abdominal no sitewww.cirurgiaobesidade.com.br

 ou entre em contato por e-mail contato@cirurgiaobesidade.com.br.


download-5.jpg
30/abr/2019

Chega a 9 mil o número de cirurgias robóticas realizadas no Brasil em 2018, sendo que dois mil procedimentos foram operações do aparelho digestivo. Só em São Paulo 20 hospitais investiram em 28 robôs para realizar a operação que agrega mais segurança ao paciente. A utilização do robô na cirurgia tem crescido principalmente nas operações do aparelho digestivo, cirurgia bariátrica e da parede abdominal.

De acordo com o cirurgião, Alexander Morrell, presidente do Capítulo de São Paulo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), especialista em cirurgia robótica, o robô é uma técnica minimamente invasiva que traz benefícios ao médico e ao paciente.

“Ele permite que o cirurgião tenha movimentos mais precisos e com maior amplitude – se comparado a cirurgia laparoscópica clássica -, além de ter uma visão melhor e diminuir o risco de lesões nervosas que podem levar a dor crônica”.

Apenas no Hospital São Luiz – Morumbi, onde Morrell opera, foram realizadas 998 cirurgias em três anos, com média de 38 ao mês.

 

Vantagens – Entre as vantagens da cirurgia robótica, se comparada às técnicas convencionais, como a cirurgia aberta e a laparoscopia estão menos dor no pós-cirúrgico, recuperação mais rápida e menor risco de infecção. “Isso acontece porque o robô estabiliza os instrumentos cirúrgicos e promove uma dissecção mais precisa, com menor lesão aos tecidos”, explicou Morrell.
Para possibilitar a cirurgia, o hospital precisa ter uma infraestrutura adequada no centro cirúrgico, além de uma equipe treinada com a nova ferramenta.

Como é feita? – Existem dois componentes na cirurgia robótica: o console de controle onde o cirurgião atua e uma unidade de braços robóticos que seguram os instrumentos cirúrgicos capazes de dissecar e suturar os tecidos. Eles atuam diretamente no paciente. O cirurgião tem acesso a um visor para examinar as imagens em 3D enviadas pela câmera de dentro do paciente, que mostram o local da cirurgia e os instrumentos, que são manipulados em tempo real pelo cirurgião.

O robô – O robô é indicado para cirurgias minimamente invasivas e considerado uma das mais importantes inovações na área da medicina deste século.

A cirurgia robótica começou a ser realizada nos Estados Unidos (EUA) nos anos 2000 e chegou ao Brasil em 2008. O equipamento é capaz de aumentar a capacidade visual do cirurgião com imagem em 3D e qualidade FULL HD. O robô também aumenta a precisão dos movimentos e permite outros que não podem ser feitos pela mão humana, como rotações com maior amplitude, por exemplo.

 

 

Veja alguns links da reportagem na mídia: 

Medicina SA

Brasil registrou mais de 9 mil cirurgias robóticas em 2018

 

Paraná Portal

Tecnologia na medicina: especialistas realizaram 9 mil cirurgias robóticas no Brasil em 2018


26/abr/2019

A obesidade afeta 18,9 milhões de brasileiros e impacta no dia a dia dessas pessoas. A doença é caracterizada pelo acumulo excessivo de gordura no corpo e precisa de tratamento.

???? A cirurgia bariátrica existe para auxiliar no emagrecimento desses pacientes. A operação – aliada à alimentação saudável e exercícios físicos – traz qualidade de vida para os pacientes, com a manutenção do peso indicado.

???? Dúvidas? Entre em contato conosco e agende a sua consulta. Nossos telefones são (11) 5539-3515 / 5539-6216.

Mais informações sobre bariátrica e cirurgias da parede abdominal no site www.cirurgiaobesidade.com.br ou entre em contato por e-mail ????contato@cirurgiaobesidade.com.br.

Dr. Alexander Morrell – CRM 45285/SP


12/abr/2019

O paciente precisa saber quem é o cirurgião que vai operá-lo. É importante pesquisar sobre o currículo, checar se é um profissional qualificado, credenciado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM).

– Confira o vídeo com dicas de como escolher o seu médico!

Dúvidas? Entre em contato conosco e agende a sua consulta. Nossos telefones são (11) 5539-3515 / 5539-6216.

Mais informações sobre bariátrica e cirurgias da parede abdominal no site ou entre em contato por e-mail contato@cirurgiaobesidade.com.br.

Dr. Alexander Morrell – CRM 45285/SP


morrell5.jpg
10/abr/2019

Antes de se submeter a cirurgia bariátrica, o paciente deve passar por uma série de exames e consultas com uma equipe multidisciplinar, envolvendo cardiologista, psiquiatra e/ou psicólogo, nutricionista e endocrinologista.

Essa avaliação é de extrema importância para que o paciente esclareça suas duvidas e entenda como será a cirurgia e o pós cirúrgico tendo assim melhores resultados.

As mulheres em idade reprodutiva também são orientadas a procurar uma ginecologista, já que a menstruação e a gravidez não são recomendadas no primeiro ano de pós-operatório. A cirurgia bariátrica aumenta a fertilidade e ajuda pacientes que estejam com dificuldade em programar uma gestação, alem de diminuir os riscos em uma paciente obesa.

Lembre-se que o objetivo de todos os profissionais envolvidos é auxiliar o paciente na cirurgia e no pós-operatório, realizando os possíveis tratamentos e alterações antes da cirurgia, para que se possa obter melhor resultado.

É comum que sejam solicitados vários exames laboratoriais, cardiológicos e pulmonares, alem de ultrassom abdominal e endoscopia digestiva. Uma preparação cuidadosa fará com que o resultado seja o melhor possível.

Os profissionais vão checar os diversos aspectos da saúde e preparar o paciente para as mudanças que serão apresentadas pela cirurgia.

Geralmente o paciente é orientado a perder alguns quilos antes da cirurgia, para melhorar a condição da anestesia geral e operação.

Dúvidas? Entre em contato conosco e agende a sua consulta. Nossos telefones são  (11) 5539-3515 / 5539-6216.

Mais informações sobre bariátrica e cirurgias da parede abdominal no sitewww.cirurgiaobesidade.com.br ou entre em contato por e-mail contato@cirurgiaobesidade.com.br.


Dr. Alexander Morrell – CRM 45285/SP


morrell4.jpg
10/abr/2019

Alguns pacientes que já foram submetidos a uma cirurgia bariátrica ou metabólica e não alcançaram o resultado almejado podem ter indicação de uma avaliação para revisão da cirurgia.  A chamada cirurgia revisional pode ser indicada em alguns casos específicos após uma avaliação minuciosa do cirurgião e da equipe multidisciplinar .

A operação também tem o objetivo de corrigir problemas que tenham ocorrido após o procedimento como o surgimento de doença do refluxo gastro esofágico, o aparecimento de hérnias, alterações intestinais e própria recidiva da obesidade.

Por se tratar de uma reoperação, hoje damos preferência para a realização destas cirurgias com o auxilio do Robô, tornando a cirurgia mais segura, precisa e com melhores resultados .
Dúvidas? Entre em contato conosco e agende a sua consulta. Nossos telefones são  (11) 5539-3515 / 5539-6216.

Mais informações sobre bariátrica e cirurgias da parede abdominal no site www.cirurgiaobesidade.com.br  ou entre em contato por e-mail contato@cirurgiaobesidade.com.br.

Dr. Alexander Morrell – CRM 45285/SP


morrell3-1200x693.jpg
21/fev/2019

Em um workshop organizado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), as principais sociedades médicas envolvidas no tratamento do Diabetes tipo 2 se reuniram para debater novas opções de tratamento para a doença.

Aprovada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) para o tratamento da diabetes, a cirurgia metabólica pode ser uma alternativa para os pacientes que não vem tendo resultado satisfatório com o tratamento clínico.

Para o cirurgião Alexander Morrell, presidente do capítulo de São Paulo da SBCBM, a possibilidade cirúrgica precisa ser discutida de forma multidisciplinar.

“É importante lembrar que a melhor alternativa de tratamento pode compreender uma ação conjunta entre o cirurgião e o clínico. Tem que ter uma interação entre as duas especialidades. O diabético é um paciente complexo, a doença atinge vários órgãos e depende de um tratamento multidisciplinar”, ressalta o cirurgião do Centro Avançado de Tratamento e Cirurgia.

Estudos apontam que, quando operados, os pacientes têm um controle muito maior do diabetes. “Sabemos da importância da atuação do cirurgião fazendo com que essa doença fique melhor controlada após a cirurgia bariátrica ou a cirurgia metabólica propriamente dita. Inclusive naqueles pacientes que não têm o índice de massa corpórea elevada, o resultado tem sido extremamente favorável”, afirmou.

A operação, aprovada pelo CFM desde 2017, é indicada aos pacientes que possuem diabetes mellitus Tipo 2 (DM2), com Índice de Massa Corporal entre 30 kg/m² a 35kg/m².

O diabetes tipo 2 atinge 9% da população brasileira e está diretamente ligada à obesidade.


18/fev/2019

A terceira turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que as cirurgias plásticas reparadoras para a retirada de excesso de pele em pacientes que passaram por cirurgia bariátrica, devem ser pagas pelos planos de saúde

A decisão é extremamente importante e “completa” o tratamento do paciente bariátrico.

Dúvidas? Entre em contato conosco e agende a sua consulta. Nossos telefones são (11) 5539-3515 / 5539-6216.

Mais informações sobre bariátrica e cirurgias da parede abdominal no site www.cirurgiaobesidade.com.br ou entre em contato por e-mail contato@cirurgiaobesidade.com.br.

Dr. Alexander Morrell – CRM 45285/SP


11/fev/2019

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) promove, no dia 21 de outubro (domingo), às 9hs,  a 1ª Caminhada Nacional de Combate à Obesidade. O evento será realizado, simultaneamente, em São Paulo e outras dez cidades.

A ação, de aproximadamente 50 minutos, acontece em comemoração ao Dia Nacional de Prevenção da Obesidade – 11 de outubro.

O objetivo é chamar a atenção da população sobre a importância da atividade física e de alimentação adequada para melhorar a qualidade de vida e reduzir o excesso de peso. “A obesidade é uma doença crônica e o paciente precisa manter a perda de peso após a cirurgia, com alimentação regular e prática de exercícios físicos, sempre com recomendações da equipe multidisciplinar”, afirmou o cirurgião bariátrico, Alexander Morrell.

A CAMINHADA – Durante o evento – coordenado por cirurgiões, educadores físicos e profissionais multidisciplinares associados à SBCBM – serão promovidas orientações para diagnóstico de sobrepeso e obesidade. A campanha trabalha quatro princípios básicos para manter a saúde e o peso saudável: comer bem, movimentar-se, beber água e dormir bem.

A OBESIDADE – Pesquisas apontam o Brasil como o 5º no ranking mundial da obesidade. A  doença é uma realidade para 18,9% dos brasileiros.  Já o sobrepeso atinge mais da metade da população (54%). Entre os jovens, a obesidade aumentou 110% entre 2007 e 2017. Esse índice foi quase o dobro da média nas demais faixas etárias (60%). Os dados são do Ministério da Saúde.

Nos últimos anos houve um aumento do consumo de alimentos altamente calóricos e ricos em gordura, sal e açúcar, mas pobres em vitaminas, minerais e outros micronutrientes. O sobrepeso e a obesidade tem origem numa série de fatores, mas principalmente no hábito do mundo moderno de consumir cada vez mais produtos processados – com a adição de substâncias que os torna mais duráveis, palatáveis e atraentes, normalmente derivadas de gorduras e açúcares. Ao desequilíbrio na balança, soma-se a vida sedentária.

Serviço

DATA : 21/10/2018

HORÁRIO: 9h

LOCAL: Parque das Bicicletas | Alameda Iraé, 35 – Moema, São Paulo

Inscrições pelo Link: https://www.sbcbm.org.br/evento/sites/caminhadaSP/


logo2

O CENTRO AVANÇADO DE TRATAMENTO E CIRURGIA é uma Clinica Especializada em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Videocirurgia, Cirurgia de Obesidade Mórbida e Cirurgia Metabólica e do Diabetes que oferece aos seus pacientes o que há de mais moderno e recente no mundo.

Certificações

Instituto Morrell | 2004 - 2019 | Todos os direitos reservados                                             Desenvolvido por Exata Design