Novas Técnicas

Qual a melhor técnica para se operar uma hérnia ?

Como é a técnica por Videolaparoscopia?

Hoje basicamente existem duas técnicas para se tratar uma hérnia: a Convencional e a por Videolaparoscopia (câmera) e em ambas usam-se próteses.

 Cirurgia Convencional

Neste tipo de operação realiza-se um corte na região da virilha de aproximadamente 8 a 10 cm. Além da pele é necessário cortar os músculos e tendões da região inguinal. Nas técnicas SEM a utilização de prótese (realizadas pela minoria dos cirurgiões) o cirurgião aplica pontos de sutura junto aos músculos e tendões para estreitar o oríficio defeituoso.

Porém, a incisão grande, numerosos pontos e a tensão nos músculos e tendões causa maior dor e desconforto no pós-operatório imediato, causando limitação de atividades habituais como andar, subir e descer escadas.

Atividade física normal pode ser retomada a partir do décimo dia de pós-operatório, dependendo da técnica operatória empregada, e os pacientes que realizam grande esforço físico (motoristas, carregadores, metalúrgicos, mecânicos, etc) só poderão retornar ao seu trabalho após trinta dias de pós-operatório, o que implica em dias perdidos de trabalho e conseqüentemente, renda perdida.

Com a utilização de próteses ou telas (ideal) não há a necessidade de se realizar suturas nos tecidos diminuindo-se muito a dor e as limitações citadas anteriormente.

Cirurgia por Videolaparoscopia

Existem várias vantagens no tratamento videolaparoscópico das hérnias da região da virilha. Ao contrário da cirurgia convencional, nesta técnica o cirurgião não realiza grandes cortes. Faz uma incisão de 1,0 cm para a introdução da câmera de video e duas de 0,5 cm por onde entrarão as pinças para a realização da cirurgia. A cirurgia é realizada na parte interna da parede abdominal. Clique aqui para ver o Vídeo.

Considerando-se que este é um procedimento minimamente invasivo, pois não corta os tecidos sensíveis da virilha (tendões e músculos), a dor praticamente não existe no pós-operatório imediato. Esta é sem dúvida a sua grande vantagem.

A recuperação pós-operatória é rápida e a maioria dos pacientes pode retornar as suas atividades diárias em dois ou três dias, voltando ao trabalho entre o quarto e o sexto dia de pós-operatório. Necessita de apenas 24 horas de internação hospitalar.

É a técnica preferida dos esportistas e de profissionais que não podem se ausentar do trabalho por muito tempo.